terça-feira, 28 de julho de 2015

L$D

L

uma pressão entre a pele e o ar preenche o espaço e vazio de ti
as palavras que não digo soam a regresso e tu que não regressas a mim
passaram dias e semanas e o teu cheiro assalta-me noutros corpos
enquanto me debato nestes músculos em espasmos e inércia imediata


deixo morrer na penumbra todo o fogo-fátuo que restou
e espero, não esperando, no interior do que ainda não se deixou ir



$

procuro alguém que me faça esquecer-te
e foder perde o encanto, o sexo perde-se
eles tentam penetrar mais do que a carne
e não se apercebem que deles não quero mais do que corpo


mãos tocam-me e não me sentem como tu me costumavas (fazer) sentir
e eu não sei o que continuo a procurar neles, quando já sei que nunca te vou encontrar a ti



D

até que regressas e volto a sentir a tua respiração perto da minha
beijas-me naturalmente e a minha língua cruza a tua
tornas o mundo nosso, mundo que não este
a tua presença enche-me a alma e deixo de me sentir incompleta


quando acordo, perco-me no tempo uns segundos
e quando recordo, perco-me na saudade para sempre



. love .





. sex .




. dreams .






4 comentários:

  1. o que seria a vida sem L$D ? ...

    bj doce

    ResponderEliminar
  2. Curiosamente, LSD é também um dos meus restaurantes preferidos do Porto...

    ResponderEliminar
  3. Tu escreves de uma forma tão intensa :)
    Um beijinho

    ResponderEliminar